BarbeandoCast – Episódio 4B

Como prometido eis a segunda parte do nosso podcast onde falamos sobre nossos causos e nossas histórias nesse hobby de fazer a barba, obrigado a todos que participaram e até o próximo episódio!

Você que segue nosso blog pode participar também esse é o link do nosso grupo do Telegran onde gravamos o podcast

https://t.me/joinchat/DgVlJ0RhCyyZ676huh1eVg

Deixe sua sugestão de assunto nos comentários!

Abraços

Clique no link e receba nossas atualizações !!!
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Anúncios

A história do barbear – documentário

Amigos esse vídeo é muito interessante, fala sobre a história do barbear, desde os primórdios até os dias de hoje, mostra a evolução dos produtos e principalmente dos barbeadores, para nós do Wetshaving essa “evolução” dos barbeadores é bastante discutível, há de fato muita tecnologia, e muito investimento, tornando os barbeadores caros e por mais incrível que pareça não tão bons como a boa e velha Gillette, mas isso é assunto para outro post.

O vídeo é um documentário americano e esta dublado em espanhol, então da para entender muito bem.

Se gosta do nosso blog clique no link e receba nossas atualizações!!
Subscribe to BarbeandoCast by Email

 

Blackbird Razor primeiras impressões

Como já diz o título, são apenas as primeiras impressões a respeito desse barbeador fantástico, posteriormente irei fazer escrever um artigo mais completo, quando minha experiência com ele for mais sólida.

Até o dia deste post foram 5 barbeares, utilizando a seguinte sequência de lâminas.

Polsilver: Uma das melhores do mundo muito equilibrada

Derby: intermediária, não muito afiada, mas muito suave

Treet Carbon: intermediária, mediana no fio e na suavidade

Gillette 7’O Clock Permasharp Staineless Indiana, compativel com Polsilver

Feather: Muito afiada e suavidade mediana

Resumindo tive barbeares excelentes com quase todas as laminas, exceto a Treet, esta foi a que menos agradou, e o melhor “casamento” para meu espanto foi com Feather, justamente uma lâmina que nunca me agradou muito, mas na Blackbird formou um conjunto incrivelmente eficaz, posso dizer com segurança, foi o melhor barbear da minha vida de wetshaver.

A Blackbird close comb (pente fechado) não é um barbeador agressivo, em uma escala de 0 a 10 eu o coloco em 5, mas o sistema que prende e força a lamina deixando ela no ângulo correto é o trunfo desse barbeador, quem desenhou esse sistema chegou a um sistema quase perfeito, nós wetshavers sabemos que quanto mais a lamina vibra menor é sua efetividade, e na Blackbird essa vibração é a menor que já senti em um barbeador. O feedback auditivo está lá, escuto a lamina, mesmo com uma vibração mínima, mas a eficiência no barbear é impressionante.

Continuo com o mesmo procedimento de 3 passadas mais retoques, e no final o barbear é assustador, ao lavar o rosto pela primeira vez ao fim do barbear, me assustei, era um liso absoluto.

Super bem construído em aço inoxidável, e com um ótimo equilíbrio este passou a ser meu melhor barbeador, quando eu considerar que a curva de aprendizado terminou, deixarei aqui no blog um review com mais informações, como preço, peso, links e etc.

Abraço a todos.

https://www.blacklandrazors.com/shop/

Clique no link abaixo e receba nossas atualizações !!!
 Subscribe to BarbeandoCast by Email

Balm X Splash …

Todo wetshaver que se preze tem em sua rotina de barbear um pós-barba. Ele é importante para amenizar a agressão à pele ocorrida durante o barbear. E a pergunta que fica é: balm, splash ou os dois?

Depois de muitos testes e conversas com amigos do wetshaving, a conclusão é simples. É uma decisão pessoal de cada um.

No entanto, os motivos para essa escolha são muito parecidos e nos trazem alguns padrões.

FRIO X CALOR

A temperatura de onde você está é sim um fator considerado para a escolha. Em locais quentes, as pessoas possuem uma preferência aos splashes, já que, além de evaporar rápido por causa do álcool, não deixam a pele mais oleosa. Em locais frios, o balm traz uma proteção extra ao barbear.

PELE OLEOSA X PELE SECA

Pessoas com pele muito oleosa queixam-se mais dos balms, visto que se a quantodade utilizada não for a adequada, você corre um grande risco de ficar grudando o dia todo.

Álcool X Sem álcool 

A maior parte dos splashes possuem álcool, ou seja, se você possui pele sensível, não vai dar certo. Muitas vezes a sensibilidade não é do álcool, mas do nível de agressão durante o barbear. Quando iniciei no hobbie, acreditava que o álcool irritava, mas depois percebi que o problema estava na pressão realizada com o barbeador.

Os balms não possuem, em sua grande maioria, Álcool em sua composição, o que o torna uma boa pedida para quem realmente possui sensibilidade ao álcool.

SPLASH E BALM

Sou uma das pessoas que ao longo do tempo adquiriu o hábito de utilizar os dois em minha rotina. Ao contrário de muitos, a inclusão do balm, com moderação, só trouxe benefícios para o meu barbear. Costumo aplicar o splash e depois de pouco tempo finalizar com o balm.

Independente da escolha, adicionar um pós-barba é essencial para a recuperação e hidratação da pele, e sem dúvida não deve ser descartado.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Tipos de pré barba e qual escolher!

Boa noite, senhores.

No meu último post, comentei sobre a importância de tratar a pele de forma apropriada antes do barbear – seja com safety razor, navalha, navalhete, single edge ou multi-lâminas. Desta vez, pretendo falar de outro passo dentro da rotina do barbear. O pré barba. É obrigatório? Não. É interessante? Sim. Se eu usar vai fazer muita diferença? Talvez. O que usar? Como usar? Para que usar? Será que devo usar? Qual tipo seria melhor pra mim? Vou tentar trocar tudo em miúdos para vocês.

OS TIPOS DE PRÉ BARBA

Em geral temos disponibilidade no mercado de três tipos: os óleos, mais comuns, encontrados em diversas marcas e lugar; o creme pré barba, esse é um pouco menos comum no mercado nacional, porém, também, facilmente encontrado; por último, o sabão pré barba ou sabonete pré barba, esse é mais difícil no mercado nacional, até agora não encontrei nenhum, os mais conhecidos são os da marca Musgo Real.

 

Mas e agora? Qual deles comprar? Como wet shavers, somos estranhos e temos a tendência a querer todos, óbvio. Primeiro seria importante observarmos as propriedades de cada um e o que procuramos com cada um dos produtos, afinal, ninguém tem intenção de comprar produtos caros para, posteriormente, jogá-los em um canto ou deixá-los como enfeite. Falemos então das propriedades de cada um:

  • Óleo pré barba: Esse tem a função de criar uma película na pele, evitando um pouco o atrito entre a lâmina e a pele, deixando a pele com o menor número possível de deformidades.
  • Creme pré barba: Esse é bastante hidratante e possui, em geral, componentes que retém água. Ele também ajuda bastante a amaciar os fios da barba. Além disso, ele “melhora”  aquele sabão que não proporciona um deslize muito bom.
  • Sabão pré barba: Esse ajuda bastante os que procuram mais deslize, o “glide effect”, normalmente tem base glicerinada e, ao misturar-se ao sabão/creme de barbear, ajuda bastante no deslize.

 

Cada um tem características particulares e, também, em comum com os outros tipos. De forma geral, simplesmente seria dito: Teste todos e veja qual é o que mais lhe agrada. Mas será que o aquele mais cheiroso ou mais agradável para você é o mais agradável para a sua pele? Vou deixar claro aqui: este post não é review de nenhum produto, por tal razão, tentei suprimir ao máximo qualquer nomeação, exceto o do sabonete, pois é o único conhecido por mim.

Em geral, os tipos de pele são: oleosa, seca, normal e mista. Cada uma delas vai reagir de forma única aos produtos que você utiliza nela. Também há a Pele sensível e a “normal”. Todos esses detalhes influenciam. Então, na hora de escolher um pré barba, mesmo sendo apenas para teste, tente observar o seu tipo de pele. Abaixo vão algumas informações de cada tipo de produto e qual seria o mais próximo do ideal para o seu tipo de pele:

Pele sensível: A pele sensível, normalmente, é seca e fina. Por tal razão, muitas vezes a hidratação apenas do sabão não é suficiente, portanto, nesse caso, o ideal é a utilização de um óleo: especialmente porque ele vai adicionar uma camada de proteção à pele, permitindo à lâmina mais contato apenas com o pelo e diminuindo o atrito com a pele. As fotos abaixo mostram exatamente isso.

É nítida a formação de uma camada protetora na pele e a uniformidade da área a ser barbeada. (Créditos ao Bisognini pelas imagens gentilmente “microscopadas”).

Pele oleosa: Ninguém quer mais hidratação, quando se tem uma pele naturalmente hidratada, não é mesmo? Vá de sabão pré barba, não tem erro. Vai limpar o excesso de oleosidade, aumentar o deslize e também, através da glicerina, regular a abertura dos poros, consequentemente, evitar aquela excessividade de óleo.

O creme pré barba tem uma questão interessante, ele é o meio termo. Ele é o produto indicado para quando você não tem tempo suficiente de fazer todo o ritual da rotina pré barba, mas não pode ficar sem barbear. Ele está em um entre lugar entre o óleo e o sabão, mas com algumas propriedades diferentes. Apesar de hidratar a pele, ele também é facilmente absorvido pelos pelos e, adivinha, quando a barba está hidratada, ela fica macia. Se aplicar uma toalha quente em cima do creme, melhor ainda, você já economizou tempo. Ele é aquele produto coringa, se dá bem com todos os tipos de pele. Claro, aos que tem pele oleosa, usar um pouco, apenas, procurando esfregar contra o pelo. Aos que tem a pele mais seca, é quase sem limites.

Portanto, não escolha baseado em opiniões gerais, mas nas suas necessidades específicas, como sempre falamos nesse hobby: Cada pele, uma sentença. Isso também se aplica aos produtos. Em suma, vale a pena usar? Sim, vale a pena usar, apesar de não ser uma parte obrigatória, pode ser que para uns não faça a menor diferença, enquanto, para outros (um olá para o pessoal com pele sensível), isso mude completamente a experiência de barbear. E quando eu digo mudar, é usar uma muhle R41 com uma Feather nova e não ter irritação.

 

photo_2017-08-22_00-11-56
Eis, então, a pele após o barbear. As áreas brilhosas demonstram a hidratação pós barba e a esfoliação natural do combo pincel + lâmina.

Futuramente, falarei da interação entre determinados tipos de gorduras utilizadas nos sabões de barbear e a reação com a pele.

  Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Barbeador – Timeless Razor

Quando iniciei no wetshaving, não tinha ideia das possibilidades dentro de cada um dos seus componentes. Quando adquiri minha primeira máquina, uma merkur 23c, tinha a convicção que ela me aconpanharia por muitos anos.

Isso não aconteceu. Passei a pesquisar sobre os assuntos e fiquei impressionado. Haviam tantas coisas diferentes para ser testadas! Nessa hora decidi que compraria uma nova máquina.

A partir de então passei por várias fases. A fase vintage, com minhas gillettes, a fase single edge, onde descobri que uma lâminas pode ser tão confortável quanto afiada e finalmente voltei pars as DE mais atuais, após comprar uma pils.
Nessa ultima fase, acabei experimentando máquinas maravilhosas, donas de um barbear confortável e eficiente. E uma delas foi a Timeless Razor.
Feita totalmente nos EUA, a timeless é uma máquina feita em aço 304, ou seja, é uma máquina pesada e robusta, que faz jus ao nome que leva. Afinal durará uma eternidade.

Ela é customizável. É possível no site escolher entre 2 baseplates (Open comb e closed comb), com dois gaps diferentes (.68mm e .95mm) e com dois acabamentos (fosco e polido). O mesmo se dá com o top cap, handles e suportes. É possível qualquer combinação.

No meio disso tudo, o que mais me cchamou a atenção foi a versão com o top cap escalopado. Trata-se de uma beleza ímpar e sem dúvida é minha máquina mais bonita.


Mas beleza não põe na mesa. De nada adiantaria uma linda máquina se não fosse eficiente e confortável. E nesse ponto a máquina se destaca.

Na oportunidade que tive para adquirir minha timeless, comprei apenas o head dela, com as duas opções de gap. Para minha surpresa, mesmo no maior gap ela não perdeu conforto. A lâmina fica bem presa e alinhada, não sendo necessária muita preocupação com o alinhamento da lâmina.


Apesar do preço proibitivo, arrisco dizer que é uma excelente compra, onde não haverá arrependimentos. Ela cumpre bem seu objetivo sem nenhum esforço.

Especificações do Fabricante:

H1: HANDLE DIMENSIONS

Weight: 71 Grams

Length: 3 5/16″ 85.1 mm

Diameter: 1/2″ 12.6 mm

H2: HANDLE DIMENSIONS

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H3: HANDLE WITH PLAID DESIGN

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H4: HANDLE WITH BARBER POLE DESIGN

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H5: HANDLE WITH DIMPLED DESIGN

Weight: 80 Grams

Length: 85 mm

Diameter: 14 mm

OPEN COMB CAP AND BASE PLATE

Weight: 39 Grams

0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)

SOLID BAR CAP AND BASE PLATE
Weight: 41 Grams
0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)

SCALLOPED CAP AND BASE PLATE

Weight: 40 Grams
0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)