Safety Razor Merkur Progress

A Merkur Progress tem um design clássico assim como a maioria dos aparelhos de barbear ditos “antigos”, as safety razors. Esta excelente máquina está na seção das ajustáveis, ou seja, a exposição da lâmina é variável.

banner

Fundada em 1906 pelo Sr. Dorp e Sr. Voos na pequena cidade de Solingen, a empresa DOVO era uma simples fábrica de máquinas de barbear. Nos anos 30 a fábrica acompanhou o crescimento da cidade e expandiu os seus negócios pela Europa e, após a Segunda Gerra Mundial, a DOVO buscou agregar mais valor ao seu negócio adquirindo empresas de produtos de barbear, entre elas estava um dos seus principais fornecedores fundado em 1896 por Emil Hermes: a Merkur. Curiosidade: a imagem da Merkur, o perfil com um capacete alado, faz referência ao deus grego Hermes (em homenagem ao fundador Emil Hermes), ou Mercúrio na mitologia romana, que era o mensageiro dos deuses.

Atualmente a Merkur possui uma boa variedade de safety razor, a conhecida e preferida de muitos 34c, o conceito slant através da 37c e 39c, as ajustáveis representados pela Futur e Progress entre outras.

3
Merkur Progress (cabo longo)

A Merkur Progress, foco deste post, tem um design mais clássico se comparada à Futur, é encontrada atualmente em dois tamanhos: uma com 88 mm e outra com 105 mm, sendo essa diferença o tamanho do cabo. Composta de duas peças a Progress apresenta 5 níveis de ajustes regulados por uma peça plástica amarela localizada na extremidade inferior do cabo, girando-a é possível elevar ou abaixar a tampa de forma que a lâmina fique mais ou menos exposta, isso lhe entrega uma máquina suave com menos exposição da lâmina e também uma mais agressiva com mais exposição da lâmina, apenas trabalhando com a sua regulagem.

duas_progress
Comparativo entre  as Merkur Progress cabo longo e cabo curto

Iniciei no barbear clássico com uma Muhle R89, reconhecida por sua suavidade, com poucos meses de uso buscava uma safety razor um pouco mais agressiva, com uma exposição um pouco maior da lâmina pois sentia que conseguiria um barbear um pouco mais eficiente além, claro, da curiosidade de experimentar outros aparelhos. Em algumas semanas estava eu com uma Progress de cabo curto, máquina perfeita, excelente acabamento, robusta, equilibrada e que me dava barbeares surpreendentes. Me adaptei bem ao seu cabo, considerado por alguns como um cabo liso e sem aderência, pra mim correu sem problemas para suportar as suas 94 gramas. Gostei tanto da máquina que em mais algumas semanas lá estava eu com Progress de cabo longo, com um cabo um pouco maior e levemente mais pesada (101 gramas), esta foi tão satisfatória quando a anterior.

O barbear com a Progress é muito confortável, pensei que teria problemas para me adaptar à uma safety razor com ajuste mais agressivo já que a minha experiência vinha de uma máquina suave (Muhle R89), mas por ser uma máquina muito versátil, ela trabalha bem com uma grande variedade de lâminas e tudo foi na mais perfeita ordem.

Vendi a Progress de cabo curto a alguns dias, pois comprei a de cabo longo para ficar apenas com esta, mas confesso que com as duas em mãos hesitei várias vezes em me desfazer de qualquer uma delas. Alguém perguntaria: mas elas não são iguais? Praticamente sim, mas eu não saberia informar com clareza o que me fazia querer ficar com as duas. Enfim, venci o próprio egoismo e repassei a primeira à um grande confrade do blog.

Me desfazer hoje da Merkur Progress de cabo longo? Talvez, quem sabe para comprar a de cabo curto novamente. 😉

Referencias
merkur-razors.com

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Anúncios

Pincel Semogue 1305

O 1305 é um dos pincéis mais notáveis da marca. Produzido pela Semogue, empresa Portuguesa com mais de 60 anos de história, este pincel tem o seu cabo em madeira laqueada assim como o excelente 1438, outro excelente pincel da marca.

1
Semogue 1305

O 1305 é um dos pincéis mais notáveis da marca. Produzido pela Semogue, empresa Portuguesa com mais de 60 anos de história, este pincel tem o seu cabo em madeira laqueada assim como o excelente 1438 (mostrado em detalhes AQUI pelo confrade Roberto), mas com 53 mm de altura e pintado em tons de verde e creme, possui um formato “vintage“, robusto, bastante característico em alguns modelos da marca e que proporciona uma sensação agradável na mão, a extremidade fecha com uma anilha metálica que, aos meus olhos, lhe confere um atrativo a mais. Contudo esse cabo tão icônico merece um pouco mais de atenção caso queira tê-lo como original por mais tempo, deixá-lo de “molho” ou muito úmido por longos períodos pode danificar a madeira e, consequentemente, a pintura pode apresentar mínimas rachaduras, assim como quedas podem tirar pequenas lascas da pintura, mas nada que afete o seu desempenho.

Tem um loft (altura das cerdas) de 55 mm, um nó com 22 mm e é concebido com uma das cerdas de porco mais suaves da Semogue, premium 90% tops, mesmo tipo de cerda do modelo 830, mas este com cabo em acrílico. Como com qualquer pincel com este tipo de cerda, estas parecerão bem rígidas quando novas ou algum tempo sem uso, mas muito suaves quando umedecidas mantendo uma ótima firmeza (backbone). Serão necessários alguns usos para este pincel atingir o ápice do seu desempenho, ou seja, quando mais você usa melhor ele fica. Mas você percebeu que ele perdeu algumas cerdas nos primeiros usos e elas também possuem um cheiro mais acentuado? Não se preocupe, este cheiro sairá e as cerdas estabilizarão à medida que o pincel for usado com mais frequência.

Um excelente pincel como o 1305 não é caro, o que tenho comprei no eBay por aproximadamente R$ 50,00 e chegou em uma semana. Eu que usava produtos nacionais facilmente encontrados nas farmácias da cidade como um pincel simples, um creme e uma marca de barbeador multi lâminas, pois a variedade é pequena, “descobrir” que existem produtos como o Semogue 1305 me levou a tratar com mais zelo e consciência o processo de barbear-se e se é algo que precisamos fazer, então que façamos bem feito.

A reconhecida qualidade do 1305 aliado ao seu preço acessível faz com que ele seja a primeira escolha para muitos iniciantes no barbear clássico, pelo menos assim foi comigo. Gostei tanto dos pincéis da Semogue que não demorou para comprar outros: 1438 (2x), 1470, 1250, 1800, Owners Club, todos formidáveis, cada um se adequando melhor a um uso específico como, por exemplo, fazer espuma em uma tigela ou diretamente no rosto, com cremes ou sabões, se você gosta de esfoliação ou mais maciez, mas não é exagero dizer que apenas o 1305 já abrange todas estas opções.

2
Pincéis Semogue

A má notícia é que dificilmente você fugirá da importação quando buscar qualidade e variedade, mas com paciência para esperar e disposição para arcar com possíveis impostos, isso não será impeditivo algum. Nesse ponto é interessante buscar mais informações sobre compras internacionais a fim de ficar mais seguro nas primeiras transações, mas já adianto que é um processo simples e tranquilo.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Crônicas de um iniciante

Olá a todos. Meu nome é Kell Albuquerque (na verdade não é meu nome de verdade, mas vamos adotar esse aqui). Tenho 25 anos e aproximadamente 4 meses de barbear tradicional. O intuito desse post é contar um pouco desse meu início, alguns erros cometidos e algumas dicas para que novos iniciantes não cometam os mesmos erros.

Bem, eu me barbeio desde os 15 anos, mais ou menos. No começo eu usava o aparelho Gillete Sensor. Alguns anos mais tarde, quando comecei a trabalhar, passei a comprar e usar o Gillete Mach3 Sensitive. Nesta época, e até o finalzinho do ano passado, eu me barbeava no máximo uma vez por semana, às vezes duas ou três vezes ao mês, e já houve situações em que passei mais de 20 dias sem me barbear, porque eu achava aquilo um saco, machucava a pele, e quando os pelos cresciam sempre vinham encravados.

Bem, durante algumas pesquisas sobre pedras de afiação de facas, caí em fóruns sobre navalha e barba, e aí acabei descobrindo que o barbear tradicional poderia virar um hobby prazeroso, e que traria mais benefícios para a minha pele. Porém, cometi o primeiro erro, e talvez o maior deles para um iniciante nesse hobby: resolvi comprar tudo do mais barato possível. É normal querer comparar preços e verificar o tanto de economia a se fazer, porque as lâminas usadas no barbear tradicional são incrivelmente mais baratas do que recargas de Mach3, Fusion, ou outros multilâminas da vida. Contudo, escolher produtos muito baratos por muitas vezes pode levar a escolhas de produtos vagabundos, que vão levar a resultados ruins, que podem machucar bastante o rosto, e que talvez te façam pensar que somos loucos e que o barbear tradicional é uma tremenda furada.

Enfim, de cara comprei uma navalhete Mundial, um creme Bozzano, umas caixas de lâminas Wilkinson brasileiras e um pincel Santa Clara. Algumas considerações sobre meu kit inicial. Nada contra os cremes Bozzano, que, aliás, são bons para este início. Ainda tenho muitos cremes Bozzano, Gillete, Nivea e BIC. São baratos, fáceis de achar, e melhores do que as espumas enlatadas (compare os ingredientes e verá que as enlatadas tem um monte de produtos químicos a mais). Ao longo da caminhada fui descobrindo que existem cremes e sabões melhores, mas ainda mantenho os meus por aqui. Sobre a navalhete, é avaliado por muitos como o meio mais difícil de iniciar neste hobby, porque é muito menos tolerante a erros, e eu aprendi isso na prática com bastantes cortes nos primeiros usos. O pincel que comprei é terrível. Tem cerdas de nylon, mais duras que as de escova de dente, e passar isso no rosto foi uma experiência muito ruim. Depois comprei uma safety razor chinesa de 5 reais, que tinha uma tremenda exposição de lâmina e que me machucava bastante também.

Então, meus caros, esta é a primeira dica. Não comprem produtos muito baratos, pois provavelmente eles vão levar a resultados ruins e vão levar vocês a desistir do barbear tradicional.

Em seguida, depois de muita pesquisa e bons conselhos de fóruns, resolvi comprar uma safety razor e um pincel decentes. Infelizmente em nosso país não há muitas opções e os preços costumam ser proibitivos, então eu acabei recorrendo à importação. Fui em um site irlandês e comprei uma Edwin Jagger DE89 e um pincel Semogue 1800. A compra toda, com frete, saiu por aproximadamente 140 reais e passou pela Receita sem ser taxada. Quando os produtos chegaram, eu pude perceber a diferença que isso faz no barbear. O aparelho e o pincel são excelentes, não muito caros, e fizeram um ótimo trabalho (logo depois pretendo escrever algo sobre eles, essa safety razor é muito recomendada para iniciantes).

Aí depois de tudo vieram outras aquisições de aparelhos, lâminas, cremes, sabão, loções, mas aí já história pra outros posts…

Abraço!!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Loção pos barba Thayers 

Thayers! Que loção pos barba! 

Quando o assunto é recuperação da pele, não tem pra ninguém, famosa pela produção de ótimos tônico faciais esta empresa criou esse ASL (after shave lotion) que diferente dos tônico possui bastante álcool, alias ao aplica la na pele se prepare para um coice ardido, mas muito apreciado pelos amantes deste tipo de loção. A hamamelis presente em toda linha Thayers é a responsável pela excelente recuperação da pele, a Aloe Vera é um ótimo quadjuvante também proporcionando um boa hidratação. 

Pontos negativos. Na minha opinião são 2, a fragrância é estranha, parece cheiro de plástico, mas é fraca e não chega a incomodar, mas poderia ser bem melhor, os tônicos são famosos pelas fragrâncias, mas na loção “largaram mão” e outro ponto negativo é o tal “extra cool” que aparece no rótulo, eu não sinto absolutamente nada de fresco nessa loção, zero de mentol, mas não é de todo ruim, porque assim consigo usar ela no inverno.

Não da pra ver muito nitidamente, mas eis uma foto dos ingredientes 

É um produto importado, e não está a venda no Brasil, é fabricada nos EUA e isso complica mais ainda, não é possível importar nada com álcool de la, eu comprei pelo site e-vitamims.com que não fica nos EUA e tinha um bom frete, agora está bastante complicado trazer essa belezinha. 

Vamos as notas. 

Recuperação da pele – 10

Hidratação – 9

Fragrância – 2

Refrescancia – 0

Desempenho e nota geral – 9

Recomendadissima!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Sabão de barbear Pannacrema Nuávia Rossa

Eis aqui um produto que sempre despertou minha curiosidade. Não conhecia os sabões da Pannacrema até que um grande amigo gentilmente me mandou uma amostra de um dos seus sabões: o Pannacrema Vetiver. Adorei a performance desse produto e naquele momento decidi que buscaria um sabão deles.

Foi então que cruzei com a linha vegana desse artesão, chamada de Nuávia. No site, a descrição já desperta curiosidade:

O sabão representa um novo conceito no wetshaving, agindo como pre-shave, pro-shave e after-shave. Nuávia é uma experiência.

É um sabão vegano, com pouquíssimos ingredientes. Vai a lista copiada do site: vegetal stearic acid, coconut oil, shea butter, calendula extract and glycerine. Sempre disse que tenho uma certa preferência por tallow, mas existem sabões com base vegetal incríveis. E esse é um deles!

A apresentação é incrível também. Recebi meu produto em uma caixa muito bem preparada e selada. Os correios não conseguiram avariar a encomenda! O sabão vem em um bowl de cerâmica pintado à mão que além de lindo é muito prático, pois é grande suficiente para facilitar o carregameto de qualquer pincel.

O cheiro também é sensacional! Uma fragrância amadeirada com um fundo ambar delicioso. Como é difícil descrever, melhor olhar a pirâmide olfativa:

E por último ( e o mais importante), a performance. Ele espuma rápido e sem esforços. Sua espuma cremosa e abundante tem uma proteção acima da média, com um efeito pós que encontrei em pouquíssimos sabões. Um carregamento rapido foi suficiente para 3 passadas e espuma de conforto.

Apesar do preço proibitivo, perto dos €60, é um produto completo Que cumpre o prometivo. O Nuávia não é apenas um sabão, é uma experiência.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Lâmina de barbear Gillette 7’O Clock Permashar Stainless Indianas

Antes de começar essa avaliação quero deixar claro que em minha opinião, lamina é um dos materiais mais subjetivos do barbear, faço uma analogia com perfumes, existem aqueles que agradam a galera e outros que agradam muito menos pessoas, percebo isso com laminas também, Polsilver a grada a galera, Derby tem seus amantes e uma galera que não gosta, talvez na mesma proporção! Dito isto vamos a avaliação.
Como testei? Usei pelo menos 5 laminas em 3 barbeadores diferentes, e com produtos diveros.
Onde obtive o melhor resultado? Com minha Merkur 39C (Slant) esse barbeador tirou proveito máximo dessa lâmina, e um sabão AOS vintage. (Combinação utilizada por 7 dias consecutivos)
Comprei essa lamina por engano, o intuito era comprar a 7’O Clocck Super Stainless fabricadas na Russia as quais eu adoro, mas estão difíceis de achar num preço bom, e como elas são parecidas e o preço estava ótimo, o indiano sacaneou colocando a foto da Super Stainless comprei as 7’O Clock Permasharp Stainless fabricadas na Índia
Abaixo uma foto que ilustra bem a semelhança.

7e5c1510ce64a8a1cb0fe3afde404788

Preço: aqui vou dar minha nota numa escala de 0 a 10 e esta lamina é nota 8 em media 40,00 por 100 peças, considero um preço bom.
Disponibilidade: Não existe a venda no Brasil, mas no Ebay encontra-se com facilidade e fartura! Nota 9 (sempre darei 9 no máximo para estas laminas que não esão disponiveis em nosso pais.)

Qualidade: Nota 7 esta lamina é vendida solta e não vem com caixinhas de 5 unidades, e eu gosto da praticidade das caixinhas que facilitam o armazenamento, e não há pontos de cola.

Gume: É uma lâmina afiada, mas não agressiva é muito equilibrada como sua irmã russa, nota 10 !!!

Longevidade: Até agora foi a lamina que consegui maior longevidade 7 barbas!!! Nota 10

Suavidade no barbear: É uma lâmina suave mais suave que sua irmã russa Nota 9

Embalagem: individual (saloon Pack) ou em caixa fechada com 100pç – Nota 7

Recomendo: Sim, sem ressalvas, eu vendi várias e dei varias e o feedback dos amigos foi muito bom!

Conclusão, para o meu uso, minha técnica e minha barba, é uma baita lâmina, com um custo beneficio ótimo, superando a irmão Super Stainless e a prima de caixa amarela SharpEdge, fiquei com muita raiva quando percebi que fui induzido a comprar a lâmina errada, em função de um anuncio mal feito, mas no final, foi uma grande surpresa!

Média das notas 8,5.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Barbeador Ikon Shavecraft Tech (Ikon Tech)

1. Apresentação – Ikon Tech Close Comb

2. Preço – Eu comprei somente cabeça de um grande amigo num preço para irmão o qual não vale a pena ressaltar aqui, o preço de mercado é de 40,00$ dólares.

3. Construção – é uma cabeça de 2 peças fabricada em alumínio aeronáutico através de torno CNC de alta precisão, creio que a liga desse alumínio seja 6065, a mais comum usada em aviões, mas é apenas uma suposição.


4. Dimensões e peso – esse é um ponto mais complicado, não tenho balança e não consegui essas especificações nem no site do fabricante, mas a cabeça tem 42mm de comprimento, o suficiente para não deixar nada da lamina exposta.

5. Maneabilidade – não adquiri a máquina completa, mas uso com o cabo da minha Gillette Ball End que tem um peso muito bom e a maneabilidade foi boa, mas com certeza vou adquirir um cabo especifico para ela.

6. Cabeçal e agressividade – Não se deixe enganar pelo visual “bonzinho” deste barbeador, mesmo sendo pente fechado é um barbeador extremamente agressivo, requer cuidados extras, há muitos comparativos na internet com a Muhle R41, e em sua maioria os usuários reportam que esse barbeador é mais agressivo, e eu concordo, e tenho propriedade para isso, usei durante 2 meses minha R41 como meu barbeador diário, essa Ikon não é um pouco, mas é bem mais agressiva, está mais próxima ou igual a R41 2011, segundo os confrades que possuem os dois barbeadores. O acabamento é perfeito, o alumínio é fosco e durante o barbear tem um barulho bem típico das maquinas em alumínio.

7. Considerações – você gosta de barbeadores agressivos? Então você vai gostar dessa máquina, do contrário eu não recomendo que você gaste dinheiro e tempo na compra desta cabeça, meu primeiro uso foi com Fheater, tsc…tsc…tsc…foi ai que percebi o quão agressiva é essa máquina, me dou bem com minha R41 + Feather, mas com essa máquina não, a melhor lamina foi Derby, a suavidade desta lamina proporcionou um bom equilíbrio, outro ponto interessante é a precisão do corte, adorei, essa cabeça é “slim” e se adapta bem aos cantos mais justos como na base do nariz, como a lâmina é muito exposta não é difícil de encontrar o angulo de “ataque” correto, dá para até tentar uma mudança de angulo, e modificar o corte, mas não há espaço para erros, recomendo essa máquina com ressalvas, é uma ótima escolha para usuários experientes e com pele resistente e apreciem agressividade. A R41 foi apelidada de Shark e essa eu chamo “The Beast” apelido dado pelo TSE, youtuber.
 
Amigos espero que gostem, abraços.

20160716_102540_richtonehdr
Exposição da lâmina

79a62aad-deeb-4774-9060-583783c70675

ikon
Comparação de exposição com Muhle R41

#ikonrazors #barbeador #barbearclassico #IkonShavecraft

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email