Loção pós barba Pinaud Clubman

20161219_221232_richtonehdr

Esta loção americana fabricada pela Corrado Cutlery e Pinaud Clubman se tornou minha loção favorita, desde o primeiro uso eu disse a mim mesmo, “Deus como é gostosa” e passei a usar muito pouco, parece controverso, mas é outra loção americana, e como todo produto americano com álcool, não pode ser exportado pelos aeroportos, então as lojas não remetem para nós, isso torna ela muito cara e rara aqui no Brasil, algo em torno de 120,00, é isso mesmo! E quanto custa lá ? Incríveis 8,00 dólares, chega ser uma absurdo né ? Mas como algumas chegam aqui? Via Ebay ou por lojas localizadas na Europa.

Agora vou vou descrever a loção em si, o que ela tem de tão bom? pra mim a fragrância é um caso à parte, é a reprodução mais próxima que já senti da famosa fragrância “barber shop” essa fragrância serve para designar aquele cheiro de talco, misturado com outros produtos usado nas barbearias (as boas né ), sinto um  cheiro forte de talco, deve ser essência de musk, responsável por esse cheiro gostoso que nos remete a conforto, mas não é só isso, é um misto de notas especiadas com um leve toque cítrico arrematado por um fundo amadeirado de musgo de carvalho. É uma fragrância poderosa, considerada enjoativa para muitos, carregada de mais no musk para outros, pra mim é nota 10 e não vou me estender nesta parte.

É bombasticamente poderosa no que se refere a álcool, então prepare-se para o famoso coice de “ardência” princialmente se seu barbear foi um pouco irritante, a hidrataçao é mediana, e tem bons efeitos calmantes, e trata a pele de forma incrível, dando um toque aveludado que as mulheres adoram.

Minha nota geral nesta loção é 10, se pudesse daria 11 mas é impontante colocar aqui a subjetividade deste produto, é muito relativa a questão da fragrância e do desempenho geral, cada nariz um nariz, cada pele uma pele, então a minha opinião pode não ser concordante com a sua, mas enaftizo aqui que é um sucesso entre os wetshavers e pode agradar a você também

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Sabão de barbear Razor Rock – Don Marco

Razor Rock – Don Marco, esse foi o primeiro sabão que pude experimentar da RR e  no meu íntimo esperava um sabão mediano já que custa apenas US$ 7,00 e trás em destaque o fato de ser uma fórmula vegan o que me causava um preconceito imaginando se tratar de um sabão com pouca proteção.

A composição indicada pelo fabricante: Ingredients: Stearic Acid, Aqua (Water/Eau), Cocos Nucifera (Coconut) Oil, Potassium Hydroxide, Sodium Hydroxide, Fragrance(Parfum), Sodium Carbonate, Citral, Limonene, Linalool.

O primeiro teste que fiz foi também o primeiro uso da minha safety razor single edge da ikon “el jefe”, e parti para o teste temeroso do resultado.

O primeiro contato com esse sabão ao abrir seu pote despertou uma grande curiosidade porque sua fragrância é fantástica tendo como notas Bergamota e Neroli, traduzindo numa fragrância refrescante e puxada para o cítrico.

Mas ao iniciar o uso veio a grande surpresa! Um sabão que é carregado rapidamente no pincel e que aos primeiros movimentos no bowl espalha a agradável fragrância pelo banheiro na mesma velocidade que a espuma vem surgindo abundantemente.

Mas a suas qualidades não acabam aqui, ao se barbear esse sabão promove uma boa proteção com um excelente acolchoamento, e ao terminar o barbear deixa uma gostosa sensação de limpeza e hidratação na pele, mantendo uma suave fragrância na pele bem tratada por ele.

Concluindo esse sabão é um dos que não quero deixar faltar aqui em casa, dada às suas qualidades e o ótimo custo benéfico. Num dos próximos posts falarei da experiência com a single edge Ikon el jefe.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

 

 

 

Barbeador Edwin Jagger DE89 Barley – análise

Fala, galera! Kell novamente.

Nesse post vou tecer uma breve análise do barbeador Edwin Jagger DE89 Barley. Até onde eu sei, os cabeçais dessa marca (ou pelo menos a grande maioria deles) são iguais, variando os cabos de modelo pra modelo. No site onde comprei (Shaving ie) ela estava custando, na época, cerca de 20 euros. No conjunto com um pincel Semogue 1800 mais o valor do frete, saiu tudo por cerca de 140-150 reais e, devo dizer, foi um ótimo negócio.

Agora ao barbeador em si. Esta máquina faz parte do trio de barbeadores mais recomendados para iniciantes, que contém ainda a Muhle R89 e a Merkur 34c (ou HD). Estes costumam estar sempre entre os mais recomendados nos fóruns e blogs, pra quem deseja iniciar neste hobby. E não é à toa. Levando em conta a DE89, devo dizer que é um aparelho bem tranquilo de se usar, fácil de achar o ângulo de uso, e bem permissivo quanto aos erros da mão, permitindo que um novato como eu tenha uma boa adaptação.

Vamos às impressões. O aparelho vem em uma caixinha preta da Edwin Jagger, de papel cartão, eu acho. Veio muito bem acondicionado, acompanhada de um folheto com a apresentação dos demais produtos da empresa. Não lembro se tinha isto descrito no site onde comprei, mas, acompanhando o aparelho veio uma caixinha com 5 lâminas Feather.

Os barbeadores da Edwin Jagger são famosos nos fóruns pela sua boa construção e acabamento. Mas, sinceramente, não achei que seria tanto. O acabamento é impecável. Todas as partes do aparelho são cromadas, inclusive as que não ficam visíveis durante o barbear; não notei nenhuma falha de acabamento.

Sobre o tamanho, não cheguei a medi-lo, nem achei as dimensões no site da empresa. O que vou colar aqui são informações que achei na internet.

Overall length: 95 mm
Cutting head width: 42 mm
Cutting head depth: 25 mm
Handle diameter: 12.5 mm
Knob diameter: 12.5 mm

O peso aferido na minha balança culinária foi de 78g.

A pegada do barbeador é ótima. Ele tem uma espécie de recartilhado no cabo, não muito profundo. Não escorrega com as mãos molhadas. Sobre o balanço, o peso tende a ser um pouco mais para o lado do cabeçal. De modo geral, a manuseabilidade é ótima, permitindo barbear sem colocar absolutamente nenhuma pressão.

Seu cabeçal é closed comb (pente fechado) que, por tudo o que li, era o mais indicado para iniciantes. Escolha acertada. Para falar sobre a agressividade, reporto-me ao aparelho que vinha usando antes da DE89 chegar, um chinês comprado por 5 reais na feira. Este último era extremamente agressivo. Quase toda vez me cortava e toda vez acabava com uma irritação monstra no pescoço. Dito isto, a EJ De89 é muito mais suave. Tive um excelente barbear com 3 passadas + retoques. Só me cortei porque exagerei passando na região do bigode múltiplas vezes sem espuma. Pelo nível de suavidade do aparelho, acredito que seja bem aplicável a uma frequência diária de uso.

Como já mencionado, não precisa nenhuma pressão. O peso do cabeçal junto com o aparelho faz o serviço. Corta de maneira suave e confortável, desde que se mantenha o cuidado de não pressionar. Também é bastante fácil de achar o ângulo adequado.

Para encerrar, como já disse em um post anterior (Crônicas de um iniciante), não vale a pena você querer economizar demais e comprar um barbeador chinês meia boca, porque vai trazer resultados ruins. O barbeador é talvez o item mais importante do barbear tradicional, então vale a pena gastar um pouco a mais nele. E se parar pra pensar, acabou saindo por cerca de 80 reais no máximo (escapei da Receita), então a relação de custo e benefício foi excelente.

Talvez ao longo do tempo você, caro leitor, perceba que precisa de algo mais agressivo, ou queira comprar mais aparelhos pra testar e tudo mais, mas, pela qualidade do produto, pode até ser que você consiga ficar só com ele e ser bem feliz!

Abraço, e até a próxima!!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Safety Razor Merkur Progress

A Merkur Progress tem um design clássico assim como a maioria dos aparelhos de barbear ditos “antigos”, as safety razors. Esta excelente máquina está na seção das ajustáveis, ou seja, a exposição da lâmina é variável.

banner

Fundada em 1906 pelo Sr. Dorp e Sr. Voos na pequena cidade de Solingen, a empresa DOVO era uma simples fábrica de máquinas de barbear. Nos anos 30 a fábrica acompanhou o crescimento da cidade e expandiu os seus negócios pela Europa e, após a Segunda Gerra Mundial, a DOVO buscou agregar mais valor ao seu negócio adquirindo empresas de produtos de barbear, entre elas estava um dos seus principais fornecedores fundado em 1896 por Emil Hermes: a Merkur. Curiosidade: a imagem da Merkur, o perfil com um capacete alado, faz referência ao deus grego Hermes (em homenagem ao fundador Emil Hermes), ou Mercúrio na mitologia romana, que era o mensageiro dos deuses.

Atualmente a Merkur possui uma boa variedade de safety razor, a conhecida e preferida de muitos 34c, o conceito slant através da 37c e 39c, as ajustáveis representados pela Futur e Progress entre outras.

3
Merkur Progress (cabo longo)

A Merkur Progress, foco deste post, tem um design mais clássico se comparada à Futur, é encontrada atualmente em dois tamanhos: uma com 88 mm e outra com 105 mm, sendo essa diferença o tamanho do cabo. Composta de duas peças a Progress apresenta 5 níveis de ajustes regulados por uma peça plástica amarela localizada na extremidade inferior do cabo, girando-a é possível elevar ou abaixar a tampa de forma que a lâmina fique mais ou menos exposta, isso lhe entrega uma máquina suave com menos exposição da lâmina e também uma mais agressiva com mais exposição da lâmina, apenas trabalhando com a sua regulagem.

duas_progress
Comparativo entre  as Merkur Progress cabo longo e cabo curto

Iniciei no barbear clássico com uma Muhle R89, reconhecida por sua suavidade, com poucos meses de uso buscava uma safety razor um pouco mais agressiva, com uma exposição um pouco maior da lâmina pois sentia que conseguiria um barbear um pouco mais eficiente além, claro, da curiosidade de experimentar outros aparelhos. Em algumas semanas estava eu com uma Progress de cabo curto, máquina perfeita, excelente acabamento, robusta, equilibrada e que me dava barbeares surpreendentes. Me adaptei bem ao seu cabo, considerado por alguns como um cabo liso e sem aderência, pra mim correu sem problemas para suportar as suas 94 gramas. Gostei tanto da máquina que em mais algumas semanas lá estava eu com Progress de cabo longo, com um cabo um pouco maior e levemente mais pesada (101 gramas), esta foi tão satisfatória quando a anterior.

O barbear com a Progress é muito confortável, pensei que teria problemas para me adaptar à uma safety razor com ajuste mais agressivo já que a minha experiência vinha de uma máquina suave (Muhle R89), mas por ser uma máquina muito versátil, ela trabalha bem com uma grande variedade de lâminas e tudo foi na mais perfeita ordem.

Vendi a Progress de cabo curto a alguns dias, pois comprei a de cabo longo para ficar apenas com esta, mas confesso que com as duas em mãos hesitei várias vezes em me desfazer de qualquer uma delas. Alguém perguntaria: mas elas não são iguais? Praticamente sim, mas eu não saberia informar com clareza o que me fazia querer ficar com as duas. Enfim, venci o próprio egoismo e repassei a primeira à um grande confrade do blog.

Me desfazer hoje da Merkur Progress de cabo longo? Talvez, quem sabe para comprar a de cabo curto novamente. 😉

Referencias
merkur-razors.com

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Pincel Semogue 1305

O 1305 é um dos pincéis mais notáveis da marca. Produzido pela Semogue, empresa Portuguesa com mais de 60 anos de história, este pincel tem o seu cabo em madeira laqueada assim como o excelente 1438, outro excelente pincel da marca.

1
Semogue 1305

O 1305 é um dos pincéis mais notáveis da marca. Produzido pela Semogue, empresa Portuguesa com mais de 60 anos de história, este pincel tem o seu cabo em madeira laqueada assim como o excelente 1438 (mostrado em detalhes AQUI pelo confrade Roberto), mas com 53 mm de altura e pintado em tons de verde e creme, possui um formato “vintage“, robusto, bastante característico em alguns modelos da marca e que proporciona uma sensação agradável na mão, a extremidade fecha com uma anilha metálica que, aos meus olhos, lhe confere um atrativo a mais. Contudo esse cabo tão icônico merece um pouco mais de atenção caso queira tê-lo como original por mais tempo, deixá-lo de “molho” ou muito úmido por longos períodos pode danificar a madeira e, consequentemente, a pintura pode apresentar mínimas rachaduras, assim como quedas podem tirar pequenas lascas da pintura, mas nada que afete o seu desempenho.

Tem um loft (altura das cerdas) de 55 mm, um nó com 22 mm e é concebido com uma das cerdas de porco mais suaves da Semogue, premium 90% tops, mesmo tipo de cerda do modelo 830, mas este com cabo em acrílico. Como com qualquer pincel com este tipo de cerda, estas parecerão bem rígidas quando novas ou algum tempo sem uso, mas muito suaves quando umedecidas mantendo uma ótima firmeza (backbone). Serão necessários alguns usos para este pincel atingir o ápice do seu desempenho, ou seja, quando mais você usa melhor ele fica. Mas você percebeu que ele perdeu algumas cerdas nos primeiros usos e elas também possuem um cheiro mais acentuado? Não se preocupe, este cheiro sairá e as cerdas estabilizarão à medida que o pincel for usado com mais frequência.

Um excelente pincel como o 1305 não é caro, o que tenho comprei no eBay por aproximadamente R$ 50,00 e chegou em uma semana. Eu que usava produtos nacionais facilmente encontrados nas farmácias da cidade como um pincel simples, um creme e uma marca de barbeador multi lâminas, pois a variedade é pequena, “descobrir” que existem produtos como o Semogue 1305 me levou a tratar com mais zelo e consciência o processo de barbear-se e se é algo que precisamos fazer, então que façamos bem feito.

A reconhecida qualidade do 1305 aliado ao seu preço acessível faz com que ele seja a primeira escolha para muitos iniciantes no barbear clássico, pelo menos assim foi comigo. Gostei tanto dos pincéis da Semogue que não demorou para comprar outros: 1438 (2x), 1470, 1250, 1800, Owners Club, todos formidáveis, cada um se adequando melhor a um uso específico como, por exemplo, fazer espuma em uma tigela ou diretamente no rosto, com cremes ou sabões, se você gosta de esfoliação ou mais maciez, mas não é exagero dizer que apenas o 1305 já abrange todas estas opções.

2
Pincéis Semogue

A má notícia é que dificilmente você fugirá da importação quando buscar qualidade e variedade, mas com paciência para esperar e disposição para arcar com possíveis impostos, isso não será impeditivo algum. Nesse ponto é interessante buscar mais informações sobre compras internacionais a fim de ficar mais seguro nas primeiras transações, mas já adianto que é um processo simples e tranquilo.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Crônicas de um iniciante

Olá a todos. Meu nome é Kell Albuquerque (na verdade não é meu nome de verdade, mas vamos adotar esse aqui). Tenho 25 anos e aproximadamente 4 meses de barbear tradicional. O intuito desse post é contar um pouco desse meu início, alguns erros cometidos e algumas dicas para que novos iniciantes não cometam os mesmos erros.

Bem, eu me barbeio desde os 15 anos, mais ou menos. No começo eu usava o aparelho Gillete Sensor. Alguns anos mais tarde, quando comecei a trabalhar, passei a comprar e usar o Gillete Mach3 Sensitive. Nesta época, e até o finalzinho do ano passado, eu me barbeava no máximo uma vez por semana, às vezes duas ou três vezes ao mês, e já houve situações em que passei mais de 20 dias sem me barbear, porque eu achava aquilo um saco, machucava a pele, e quando os pelos cresciam sempre vinham encravados.

Bem, durante algumas pesquisas sobre pedras de afiação de facas, caí em fóruns sobre navalha e barba, e aí acabei descobrindo que o barbear tradicional poderia virar um hobby prazeroso, e que traria mais benefícios para a minha pele. Porém, cometi o primeiro erro, e talvez o maior deles para um iniciante nesse hobby: resolvi comprar tudo do mais barato possível. É normal querer comparar preços e verificar o tanto de economia a se fazer, porque as lâminas usadas no barbear tradicional são incrivelmente mais baratas do que recargas de Mach3, Fusion, ou outros multilâminas da vida. Contudo, escolher produtos muito baratos por muitas vezes pode levar a escolhas de produtos vagabundos, que vão levar a resultados ruins, que podem machucar bastante o rosto, e que talvez te façam pensar que somos loucos e que o barbear tradicional é uma tremenda furada.

Enfim, de cara comprei uma navalhete Mundial, um creme Bozzano, umas caixas de lâminas Wilkinson brasileiras e um pincel Santa Clara. Algumas considerações sobre meu kit inicial. Nada contra os cremes Bozzano, que, aliás, são bons para este início. Ainda tenho muitos cremes Bozzano, Gillete, Nivea e BIC. São baratos, fáceis de achar, e melhores do que as espumas enlatadas (compare os ingredientes e verá que as enlatadas tem um monte de produtos químicos a mais). Ao longo da caminhada fui descobrindo que existem cremes e sabões melhores, mas ainda mantenho os meus por aqui. Sobre a navalhete, é avaliado por muitos como o meio mais difícil de iniciar neste hobby, porque é muito menos tolerante a erros, e eu aprendi isso na prática com bastantes cortes nos primeiros usos. O pincel que comprei é terrível. Tem cerdas de nylon, mais duras que as de escova de dente, e passar isso no rosto foi uma experiência muito ruim. Depois comprei uma safety razor chinesa de 5 reais, que tinha uma tremenda exposição de lâmina e que me machucava bastante também.

Então, meus caros, esta é a primeira dica. Não comprem produtos muito baratos, pois provavelmente eles vão levar a resultados ruins e vão levar vocês a desistir do barbear tradicional.

Em seguida, depois de muita pesquisa e bons conselhos de fóruns, resolvi comprar uma safety razor e um pincel decentes. Infelizmente em nosso país não há muitas opções e os preços costumam ser proibitivos, então eu acabei recorrendo à importação. Fui em um site irlandês e comprei uma Edwin Jagger DE89 e um pincel Semogue 1800. A compra toda, com frete, saiu por aproximadamente 140 reais e passou pela Receita sem ser taxada. Quando os produtos chegaram, eu pude perceber a diferença que isso faz no barbear. O aparelho e o pincel são excelentes, não muito caros, e fizeram um ótimo trabalho (logo depois pretendo escrever algo sobre eles, essa safety razor é muito recomendada para iniciantes).

Aí depois de tudo vieram outras aquisições de aparelhos, lâminas, cremes, sabão, loções, mas aí já história pra outros posts…

Abraço!!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Loção pos barba Thayers 

Thayers! Que loção pos barba! 

Quando o assunto é recuperação da pele, não tem pra ninguém, famosa pela produção de ótimos tônico faciais esta empresa criou esse ASL (after shave lotion) que diferente dos tônico possui bastante álcool, alias ao aplica la na pele se prepare para um coice ardido, mas muito apreciado pelos amantes deste tipo de loção. A hamamelis presente em toda linha Thayers é a responsável pela excelente recuperação da pele, a Aloe Vera é um ótimo quadjuvante também proporcionando um boa hidratação. 

Pontos negativos. Na minha opinião são 2, a fragrância é estranha, parece cheiro de plástico, mas é fraca e não chega a incomodar, mas poderia ser bem melhor, os tônicos são famosos pelas fragrâncias, mas na loção “largaram mão” e outro ponto negativo é o tal “extra cool” que aparece no rótulo, eu não sinto absolutamente nada de fresco nessa loção, zero de mentol, mas não é de todo ruim, porque assim consigo usar ela no inverno.

Não da pra ver muito nitidamente, mas eis uma foto dos ingredientes 

É um produto importado, e não está a venda no Brasil, é fabricada nos EUA e isso complica mais ainda, não é possível importar nada com álcool de la, eu comprei pelo site e-vitamims.com que não fica nos EUA e tinha um bom frete, agora está bastante complicado trazer essa belezinha. 

Vamos as notas. 

Recuperação da pele – 10

Hidratação – 9

Fragrância – 2

Refrescancia – 0

Desempenho e nota geral – 9

Recomendadissima!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email