Dicas para barbear

Você que está procurando formas de um barbear bem feito, menos problemas com irritações, pelos encravados, foliculite e um barbear agradável seu lugar é aqui!
Quando pensamos em barbear, normalmente se tem a ideia de que a modernidade dos aparelhos multilâminas (mach3, fusion e similares) com espumas de lata ou mesmo aparelhos elétricos trará esses benefícios, mas após gastar rios de dinheiro descobre-se que nada disso trouxe melhoras ou qualidade do barbear.
Aqui nesse blog você encontrará algumas dicas para melhorar seu ritual do barbear.
Primeiramente esqueça os aparelhos e espumas de lata acima mencionados, e vamos voltar ao tempo dos nossos avôs e pais dependendo da idade deles.
Para um bom barbear precisamos voltar ao ritual do barbear clássico, ou seja, preparar a pele, ter uma boa espuma, uma boa lâmina e um bom pós barba.
Se formos elencar todas as possibilidades nesses casos iríamos escrever páginas e mais páginas e não esgotaríamos todas as possibilidades, assim, nesse prefácio daremos algumas dicas para quem quer ter um bom e prazeroso barbear, mas acompanhe as novidades no nosso blog ou mesmo participe pedindo informações ou sugerindo matérias que vamos tentar atender todos os pedidos.
O que se precisa para um bom barbear:
1) preparar a pele, lavando o rosto com água morna com sabão próprio para o rosto ou mesmo sabonete de glicerina para tirar a poluição e a oleosidade excessiva, outra alternativa é fazer após o banho.
2) ter um bom creme ou sabão de barbear, para quem está iniciando e quer testar temos produtos de custo mais baixo que permite iniciar o barbear clássico, citamos os cremes da bozzano, gillette, palmindaya e alfalok´s;
3) ter um pincel de barbear nesse caso para não se fazer altos investimentos pode começar com um pincel de cerdas de javali da ômega e semogue, que podem ser encontrados no mercadolivre ou na forlords a custo bem amigável;
4) ter um aparelho de barbear (safety razor), de início se recomenda aparelhos suaves (closed comb) e temos várias marcas, podendo ser merkur, muhle, edwin jagger, gillette (aparelhos antigos) ou mesmo um paz em gaya que é feito artesanalmente aqui no Brasil. O custo do barbeador vai variar bastante, sendo que se tiver paciência pode importar, ou tentar encontrar um aparelho usado com custo mais baixo;
5) lâminas double edge, no Brasil não encontramos muita variedade de lâminas, mas encontramos wilkinson, bic, dorco, derby, feather, gillette azul, lord e algumas outras marcas, sendo que nesse caso o melhor é testar e ver o que mais lhe agrada, aqui novamente compensa a paciência de importar as lâminas, pois, são muito baratas e consegue-se melhor qualidade dos que as disponíveis no mercado;
6) loção pós barba ou balm de acordo com o gosto pessoal.
Tendo esses produtos, você já poderá iniciar seu aprendizado para ter um barbear melhor e mais agradável.
De início recomendamos que inicie sua experiência em momento que tenha um tempo tranqüilo na sua rotina diária, para que consiga extrair o melhor da sua experiência, pois, tentar se barbear com pressa nos primeiros dias fatalmente vai lhe trazer uma má experiência e possivelmente com alguns pequenos cortes.
Antes do banho ou enquanto prepara suas coisas para o barbear coloque o pincel com os pelos imerso em água fria ou morna.
Após ter lavado o rosto ou ter tomado um bom banho, comece preparando sua espuma, pegando um pequeno potinho colocando uma boa quantidade do creme escolhido (uma quantidade equivalente a uma falange do dedo costuma ser suficiente, adicione algumas gotas de água e com o pincel já escorrido comece a produzir a espuma, se notar que a espuma está aguada é sinal que exagerou na quantidade de água ou não escorreu bem o pincel, nesse caso basta adicionar mais um pouco de creme e conseguirá uma espuma ideal, caso a espuma não esteja desenvolvendo no potinho é sinal de falta de água bastando adicionar água aos poucos para conseguir uma espuma de qualidade.
Feita a espuma utilize o pincel para espalhar pelo o rosto, e após bem espalhada a espuma inicie o barbear fazendo suaves e curtos movimentos com o barbeador em linha reta pelo rosto, sempre lavando o barbeador quando a espuma tiver acumulada.
Como o barbeador tem lâmina para ambos os lados vá alternando os lados ao longo do barbear.
Terminada a passada a favor do fio repita a operação fazendo as passadas laterais e por fim repita fazendo no contra pelo se assim preferir.
Concluído o barbear lave o rosto com água fria, seque com uma toalha limpa sem esfregar a pele e aplique seu pós barba escolhido.
Esse é apenas um singelo resumo das dicas de como se barbear, faremos novas matérias para sanar as dúvidas daqueles que estão curiosos com as dicas para se barbear melhor e em breve postaremos vídeos tutoriais para ensinar a fazer espuma e se barbear.
Ficamos por aqui e agradecemos a visita, façam seus cadastros para receberem nossas atualizações e nos mandem suas dúvidas.

 

Clique no link e receba nossas atualizações !!!
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Pincéis de barbear Sintéticos – Uma dica para os novatos, ou não!

Boa noite, Senhoras e Senhores wet shavers.

Eu sou usuário de pincéis sintéticos, porém ontem à noite usei um pincel de texugo (2 band badger) pela primeira vez. Então hoje pensei em algo simples, porém pouco falado, ou pouco explicado, para ser mais exato. É fácil imaginar a diferença entre um pincel feito de fibras naturais e um pincel feito de fibras sintéticas. No entanto, qual a relação; quais os benefícios? [O que existe além do espaço comum sobre eles?].

É importante termos em mente que os pincéis sintéticos evoluiram absurdamente e, aqui, serei bem breve, eles deixaram de ser semelhantes às escovas de dente e ganharam características próprias. Simples assim, pois esse não é o foco do texto.

Todavia, muitos acham que pincéis sintéticos não conseguem espumar bem todos os sabões, muitos também reclamam em função da liberação de água, a qual é rápida demais, sem controle, simplesmente “despeja” a água. E isso é verdade. Uma fibra natural apresenta porosidades, tais porosidades retém água e a liberam através da pressão entre o rosto/bowl e as fibras. Cerdas sintéticas são lisas, por isso é normal a água escorrer rapidamente e, ainda mais, se colocá-lo apoiado no balcão, ocorrer acúmulo de água e espuma na base do nó.

Como solucionar o “problema”? Em primeiro lugar, não se pode sair dizendo que é um problema, quando se trata de uma característica. Se você tem um aparelho mais agressivo e ele irrita a pele, não dá para colocar a culpa no aparelho sem pensar na técnica aplicada.

Pincéis sintéticos não precisam ser colocados de molho, tampouco precisam ter o loft inteiro imerso em água. A parte importante, a parte responsável por reter água – e aí a mágica dos plisson/plissoft/sintéticos modernos – são as pontas, a partir delas que é possível controlar o montante de água no pincel.

Dito isso, há dois caminhos possíveis: um deles é apenas molhar as pontas em água corrente ou na água da pia; a outra, minha favorita, é aproveitar a água colocada na parte de cima do sabão, sim, aquela água em que deixamos o sabão de molho. Retira-se o excesso e então começa o carregamento. “Mas, Fred. Assim vai ficar seco demais…” – Não tem problema, você pode adicionar água à vontade, até encontrar a consistência ideal para a sua espuma.

E aqueles sabões difíceis de espumar?

Já ouvi dizer que alguns sabões só fazem boa espuma se usar pincel de javali, outros, se usar pincel de texugo e por aí vai. Na verdade, a qualidade da espuma vai depender da paciência, da carga e da melhoria em relação à técnica. No início é mais difícil, sim, mas é questão de hábito, em pouco tempo já se adquire prática.

fique sempre ligado nas nossas atualizações!!

Clique no link e receba nossas atualizações !!!
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Anúncio de Parceria!

Boa noite, Senhores e possíveis Senhoras.

Nós, da equipe do Barbeando Blog, estamos sempre buscando novos conteúdos e informações que possam ser úteis para todos os amantes do barbear tradicional e, também, aos leitores que precisam fazer a barba, independente do método. Sempre bom lembrar: as informações disponibilizadas aqui não são restritas e não excluem quaisquer indivíduos que optem por outros métodos para barbear-se.

Então, com grande alegria, informamos a parceria entre o Barbeando Blog e o muito conhecido por todos “Sharpologist”, ou Mantic 59’s.

Nosso objetivo é a transmissão e divulgação de conteúdos interessantes, variados e, tendo em vista que nem todos os nossos leitores sentem-se confortáveis com a leitura em língua inglesa, eu, Frederico, propus ao Mantic a introdução no nosso blog de posts traduzidos a partir do blog dele.

Simples, todos os posts serão marcados, os créditos serão todos dados a ele e, ao fim de cada post, constará o link para a postagem original. As traduções serão feitas por mim e os posts serão selecionados pela equipe editorial do blog.

 

Sendo assim.

Aguardem, pois espero que a novidade agrade a todos.

Forte abraço e bons barbeares.

Aos que não conhecem, seque o link:

http://sharpologist.com/

Tipos de pré barba e qual escolher!

Boa noite, senhores.

No meu último post, comentei sobre a importância de tratar a pele de forma apropriada antes do barbear – seja com safety razor, navalha, navalhete, single edge ou multi-lâminas. Desta vez, pretendo falar de outro passo dentro da rotina do barbear. O pré barba. É obrigatório? Não. É interessante? Sim. Se eu usar vai fazer muita diferença? Talvez. O que usar? Como usar? Para que usar? Será que devo usar? Qual tipo seria melhor pra mim? Vou tentar trocar tudo em miúdos para vocês.

OS TIPOS DE PRÉ BARBA

Em geral temos disponibilidade no mercado de três tipos: os óleos, mais comuns, encontrados em diversas marcas e lugar; o creme pré barba, esse é um pouco menos comum no mercado nacional, porém, também, facilmente encontrado; por último, o sabão pré barba ou sabonete pré barba, esse é mais difícil no mercado nacional, até agora não encontrei nenhum, os mais conhecidos são os da marca Musgo Real.

 

Mas e agora? Qual deles comprar? Como wet shavers, somos estranhos e temos a tendência a querer todos, óbvio. Primeiro seria importante observarmos as propriedades de cada um e o que procuramos com cada um dos produtos, afinal, ninguém tem intenção de comprar produtos caros para, posteriormente, jogá-los em um canto ou deixá-los como enfeite. Falemos então das propriedades de cada um:

  • Óleo pré barba: Esse tem a função de criar uma película na pele, evitando um pouco o atrito entre a lâmina e a pele, deixando a pele com o menor número possível de deformidades.
  • Creme pré barba: Esse é bastante hidratante e possui, em geral, componentes que retém água. Ele também ajuda bastante a amaciar os fios da barba. Além disso, ele “melhora”  aquele sabão que não proporciona um deslize muito bom.
  • Sabão pré barba: Esse ajuda bastante os que procuram mais deslize, o “glide effect”, normalmente tem base glicerinada e, ao misturar-se ao sabão/creme de barbear, ajuda bastante no deslize.

 

Cada um tem características particulares e, também, em comum com os outros tipos. De forma geral, simplesmente seria dito: Teste todos e veja qual é o que mais lhe agrada. Mas será que o aquele mais cheiroso ou mais agradável para você é o mais agradável para a sua pele? Vou deixar claro aqui: este post não é review de nenhum produto, por tal razão, tentei suprimir ao máximo qualquer nomeação, exceto o do sabonete, pois é o único conhecido por mim.

Em geral, os tipos de pele são: oleosa, seca, normal e mista. Cada uma delas vai reagir de forma única aos produtos que você utiliza nela. Também há a Pele sensível e a “normal”. Todos esses detalhes influenciam. Então, na hora de escolher um pré barba, mesmo sendo apenas para teste, tente observar o seu tipo de pele. Abaixo vão algumas informações de cada tipo de produto e qual seria o mais próximo do ideal para o seu tipo de pele:

Pele sensível: A pele sensível, normalmente, é seca e fina. Por tal razão, muitas vezes a hidratação apenas do sabão não é suficiente, portanto, nesse caso, o ideal é a utilização de um óleo: especialmente porque ele vai adicionar uma camada de proteção à pele, permitindo à lâmina mais contato apenas com o pelo e diminuindo o atrito com a pele. As fotos abaixo mostram exatamente isso.

É nítida a formação de uma camada protetora na pele e a uniformidade da área a ser barbeada. (Créditos ao Bisognini pelas imagens gentilmente “microscopadas”).

Pele oleosa: Ninguém quer mais hidratação, quando se tem uma pele naturalmente hidratada, não é mesmo? Vá de sabão pré barba, não tem erro. Vai limpar o excesso de oleosidade, aumentar o deslize e também, através da glicerina, regular a abertura dos poros, consequentemente, evitar aquela excessividade de óleo.

O creme pré barba tem uma questão interessante, ele é o meio termo. Ele é o produto indicado para quando você não tem tempo suficiente de fazer todo o ritual da rotina pré barba, mas não pode ficar sem barbear. Ele está em um entre lugar entre o óleo e o sabão, mas com algumas propriedades diferentes. Apesar de hidratar a pele, ele também é facilmente absorvido pelos pelos e, adivinha, quando a barba está hidratada, ela fica macia. Se aplicar uma toalha quente em cima do creme, melhor ainda, você já economizou tempo. Ele é aquele produto coringa, se dá bem com todos os tipos de pele. Claro, aos que tem pele oleosa, usar um pouco, apenas, procurando esfregar contra o pelo. Aos que tem a pele mais seca, é quase sem limites.

Portanto, não escolha baseado em opiniões gerais, mas nas suas necessidades específicas, como sempre falamos nesse hobby: Cada pele, uma sentença. Isso também se aplica aos produtos. Em suma, vale a pena usar? Sim, vale a pena usar, apesar de não ser uma parte obrigatória, pode ser que para uns não faça a menor diferença, enquanto, para outros (um olá para o pessoal com pele sensível), isso mude completamente a experiência de barbear. E quando eu digo mudar, é usar uma muhle R41 com uma Feather nova e não ter irritação.

 

photo_2017-08-22_00-11-56
Eis, então, a pele após o barbear. As áreas brilhosas demonstram a hidratação pós barba e a esfoliação natural do combo pincel + lâmina.

Futuramente, falarei da interação entre determinados tipos de gorduras utilizadas nos sabões de barbear e a reação com a pele.

  Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

INICIANDO O BARBEAR COM NAVALHAS

No final do ano passado acabei adquirindo uma navalha C.V. Heljestrand Eskiltuna M***k, N° 31 que apesar de estar em bom estado precisava passar por afiação e limpeza.

Quando comecei a ler sobre o uso de navalhas e descobri que seria necessário ter strop e futuramente pedras de afiação para manutenção do fio da navalha acabei ficando desmotivado e anunciei essa navalha para ser vendida ou trocada.

Passado os meses sem surgir interessados em negociar a navalha acabei ficando em dúvida sobre o que fazer com ela, foi quando em conversas com o amigo Elson acabei ficando novamente instigado a testar o uso de navalhas e enviei para ele fazer uma limpeza e afiação.

Esse era o estado da navalha antes de passar pelos cuidados do @carvalhosilva1 (Elson)

A navalha retornou assim:

Ver essa navalha limpa e afiada e deixou imensamente feliz pelo seu estado e me programei para fazer o primeiro teste com ela em um dia com calma.

Como nunca sequer tinha usado navalhete tudo era novidade e iniciei meu primeiro barbear em uma manhã tranqüila e com certa apreensão diante do desconhecido, mas que rapidamente foi dissipada nas primeiras passadas que se mostraram muito eficientes e seguras.

Segui o barbear até terminar a primeira passada a favor dos pelos, acabei empolgando e tentei fazer a passada contra que não seria recomendado para novatos como o meu caso, mas que com o devido cuidado consegui realizar com êxito.

Terminado o primeiro barbear observei ter cometido algumas falhas por imperícia que causaram alguns arranhões no rosto, mas ao longo do dia notei que não tinha nenhum tipo de irritação na pele.

No dia seguinte decidi tentar novamente a me barbear com a navalha e os resultados foram ainda melhores, sendo que a partir do terceiro barbear seguido já não cometi os pequenos erros que cometi nos dois primeiros e tive um resultado impressionante o que me levou a prosseguir essa saga quase que diariamente.

Desde o primeiro contato com navalhas há quase um mês atrás só tenho utilizado navalhas e posso dizer que fico sempre muito satisfeito com os resultados, já que com o pouco de técnica que consegui em apenas 2 passadas tenho um BBS sem nenhuma irritação ou mesmo cortes.

Para aqueles que tem a mesma dúvida que eu tinha antes de testar navalhas digo que não dá o trabalho que eu imaginava, muito menos exige um arsenal de acessórios em um primeiro momento, bastando ter um bom strop já conseguirá manter o fio por um tempo considerável antes de partir para adquirir uma nova navalha ou mesmo pedras.

 Clique no link e receba nossas atualizações
<a href=”https://feedburner.google.com/fb/a/mailverify?uri=Barbeandoblog&amp;loc=en_US”>Subscribe to BarbeandoCast by Email</a>

Limpeza da pele no “pré barbear”

O barbear faz parte da vida do homem, isso é um fato, não interessa se você “cultiva” uma barba gigantesca ou precisa barbear todos os dias; independente de ser adepto do barbear tradicional ou dos multilâminas. Todos os dias, a barba estará lá. Pensando nisso, sempre desejamos produtos de excelente qualidade, performance surpreendente, algo inovador, inédito ou algo conhecido e aclamado por todos, pois, no fim das contas, não é por ser algo corriqueiro e cotidiano que não deve ser aproveitado.

No entanto, se afastarmos o olhar apenas um pouco, se tomarmos certa distância, é possível observar que o barbear, o trato à barba e os cuidados com a pele compõem o que, atualmente, chama-se “grooming”. Portanto, não basta apenas o uso de produtos excelentes para o barbear, algumas outras coisas também são necessárias e deveriam merecer a dedicação de alguns trocados a mais.

Por isso, hoje eu gostaria de falar sobre sabonetes. Todos sabemos, antes do barbear, é essencial estar com a pele limpa, é essencial lavar o rosto e, de preferência, tratar a pele com água quente no que chamamos de “ritual pré barbear”, mas será apenas isso? Será que é suficiente usarmos o mesmo sabonete que tomamos banho, para lavar o rosto?

Sujeira, poluição, oleosidade, terra: tudo isso se acumula na pele, todos esses elementos fazem com que a pele fique, literalmente, suja e essa sujeira muitas vezes é imperceptível. O pior disso, é que um sabonete comum (dove, phebo, palmolive, rexona, lux, etc) ele não consegue limpar os poros da forma correta, não faz o trabalho de retirar a sujeira e, ao mesmo tempo, tratar a pele.

As vezes aquele sabão maravilhoso, aclamado por todos, simplesmente dá uma reação estranha na pele, pinica, coça, deixa uma sensação ruim de ardência e vermelhidão. Nem sempre isso é alergia, muitas vezes, é a reação do sabão – e dos produtos contidos nele – com a sujeira da pele. Por isso é importante que, além de “lavar o rosto”, façamos a limpeza do rosto da forma correta.

Atualmente, eu recomendaria qualquer um desses três. Cada um tem especificidades, características e valores diferentes, no meu caso, eu comecei com o Deep Clean Energizing, um ótimo sabonete, sensação de limpeza da pele, bom trato e, principalmente, sem a sensação de ressecamento, sem fazer com que a pele fique quase sensível demais para o barbear. O segundo da Neutrogena, o “limpeza profunda”, é recomendado para pessoas com a pele bastante oleosa ou que estão expostas à poluição (oi, pessoal de São Paulo), ele realmente abre os poros e remove completamente a oleosidade. Já o La Roche que, na minha opinião, é o melhor de todos, tem ácido salicílico na fórmula, ele é bacana e perfeito para o pessoal com tendência acneica, que faz a barba e logo aparece uma ou duas espinhas. Além disso, o ácido salicílico elimina algumas bactérias, as quais auxiliam na formação de espinhas e foliculite. Ah, e falando na foliculite, se você sofre com rosácea ou foliculite, é interessante pensar no sabonete da la roche, com certeza.

Então, encerrando toda a ideia, além de pensarmos em produtos específicos para barbear, seria bom mantermos em mente que o barbear perfeito é, na verdade, um conjunto de fatores. Ter a pele limpa, os poros abertos e os pelos bem hidratados é, sem sobra de dúvidas, essencial.

Espero que, de alguma forma, este post seja útil, talvez lhe faça pensar sobre a razão daquele sabão bacana e tão cheiroso estar causando uma leve irritação ou coisa do gênero.

Os sabonetes citados aqui não são de difícil acesso, a maioria das drogarias os vende e, felizmente, os preços – exceto o da la roche – são bem módicos.

Um grande abraço a todos.

Fred

 Clique no link e receba nossas atualizações
<a href=”https://feedburner.google.com/fb/a/mailverify?uri=Barbeandoblog&amp;loc=en_US”>Subscribe to BarbeandoCast by Email</a>

Lápis Hemostático

lapishemostatico

Aqui não farei uma avaliação desse produto, sendo essa imagem apenas uma referência.

Para aqueles que não conhecem, esse lápis é um adstringente e hemostático que estanca rapidamente pequenos ferimentos causados durante o barbear.

A utilização é muito simples, basta molhar a ponta do lápis e esfregá-lo pressionando sob o ponto de sangramento que o irá cessar como num passe de mágica.

Se tivesse que recomendar um kit de produtos para um iniciante, com certeza incluiria o lápis dentre os produtos recomendados, pois, resolve imediatamente os problemas com aqueles pequenos mas persistentes pontos de sangramento que eventualmente afloram após o barbear.

Vou deixar aqui um vídeo que ilustrara bem os vario tipos e tamanhos e como usar!