Barbeador Blackbird

Esse barbeador é fabricado pela https://www.blacklandrazors.com  Blackbird esse nome é uma alusão ao avião mais rápido que já voou até hoje, seu desenho e sua cobertura (black oxide) também remetem ao tal avião que tem um design bastante futurista, alias essas pintura, que não é pintura, mas sim um processo químico que da esse aspecto estranho e é diferente em cada barbeador, então todos são únicos!

Construção – é um barbeador de 3 peças, fabricado em aço inoxidável por tornos CNC, a qualidade é impecável é nota 10 em todas as versões.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maneabilidade – este é o barbeador mais bem equilibrado que já passou pelas minhas mãos, o desenho do cabo proporciona uma pegada perfeita, com pode ver nas fotos a minha tem um handle longo, não sei se o equilíbrio é o mesmo com cabo curto.

Agressividade – essa é a versão de pente fechado, eu acho um barbeador intermediário, muitos consideram suave, mas a geometria do cabeçal trava a lamina de uma forma que a vibração é muito pequena, isso faz desse um barbeador incrivelmente efetivo, o melhor barbeador que já usei, 2 passadas e tens um BBS impecável, 3 passadas e você se assusta com a profundidade que a lamina cortou os pelos. Aos finais de semana e no verão, eu costumava me barbear pela manha e a noite no mesmo dia, com esse barbeador isso não é mais possível, me barbeio a noite, e pela manha o BBS ainda esta lá.

Cabeçal – possui uma geometria interessante que facilita muito o posicionamento do ângulo correto, mais um trunfo da engenharia empregada nesse barbeador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Preço – eis o único ponto fraco desse barebeador, se bem que este é um barbeador que esta em uma outra categoria, chamada Premium, são esses novos barbeadores fabricados com materiais nobres, processos complexos (CNC) e muita engenharia para proporcionar um barbear realmente diferenciado, custa 200,00$ nos EUA, e concorre diretamente com a Timless, Charcoal, Wolfman, dentre outros, e todos estão nessa mesma faixa de preço.

Considerações finais – até conhecer esse barbeador eu estava maravilhado com as Single Edge, hoje passado algum tempo, eu não consigo usar outro barbeador, os amigos podem neste momento estar pensando “nossa que cara exagerado”, mas se pesquisarem sobre esse barbeador  e seus concorrentes notarão que esses barbeadores estão em outro patamar.

Vale a pena pagar tão caro? Eu dizia pra mim mesmo NÃO, mas pintou uma oportunidade sem a necessidade de importar, e hoje eu digo que vale cada centavo investido

Clique no link e receba nossas atualizações !!!
Subscribe to BarbeandoCast by Email

Deixe eu comentário, sua dúvida e sua sugestão !

Blackbird Razor primeiras impressões

Como já diz o título, são apenas as primeiras impressões a respeito desse barbeador fantástico, posteriormente irei fazer escrever um artigo mais completo, quando minha experiência com ele for mais sólida.

Até o dia deste post foram 5 barbeares, utilizando a seguinte sequência de lâminas.

Polsilver: Uma das melhores do mundo muito equilibrada

Derby: intermediária, não muito afiada, mas muito suave

Treet Carbon: intermediária, mediana no fio e na suavidade

Gillette 7’O Clock Permasharp Staineless Indiana, compativel com Polsilver

Feather: Muito afiada e suavidade mediana

Resumindo tive barbeares excelentes com quase todas as laminas, exceto a Treet, esta foi a que menos agradou, e o melhor “casamento” para meu espanto foi com Feather, justamente uma lâmina que nunca me agradou muito, mas na Blackbird formou um conjunto incrivelmente eficaz, posso dizer com segurança, foi o melhor barbear da minha vida de wetshaver.

A Blackbird close comb (pente fechado) não é um barbeador agressivo, em uma escala de 0 a 10 eu o coloco em 5, mas o sistema que prende e força a lamina deixando ela no ângulo correto é o trunfo desse barbeador, quem desenhou esse sistema chegou a um sistema quase perfeito, nós wetshavers sabemos que quanto mais a lamina vibra menor é sua efetividade, e na Blackbird essa vibração é a menor que já senti em um barbeador. O feedback auditivo está lá, escuto a lamina, mesmo com uma vibração mínima, mas a eficiência no barbear é impressionante.

Continuo com o mesmo procedimento de 3 passadas mais retoques, e no final o barbear é assustador, ao lavar o rosto pela primeira vez ao fim do barbear, me assustei, era um liso absoluto.

Super bem construído em aço inoxidável, e com um ótimo equilíbrio este passou a ser meu melhor barbeador, quando eu considerar que a curva de aprendizado terminou, deixarei aqui no blog um review com mais informações, como preço, peso, links e etc.

Abraço a todos.

https://www.blacklandrazors.com/shop/

Clique no link abaixo e receba nossas atualizações !!!
 Subscribe to BarbeandoCast by Email

Barbeador – Timeless Razor

Quando iniciei no wetshaving, não tinha ideia das possibilidades dentro de cada um dos seus componentes. Quando adquiri minha primeira máquina, uma merkur 23c, tinha a convicção que ela me aconpanharia por muitos anos.

Isso não aconteceu. Passei a pesquisar sobre os assuntos e fiquei impressionado. Haviam tantas coisas diferentes para ser testadas! Nessa hora decidi que compraria uma nova máquina.

A partir de então passei por várias fases. A fase vintage, com minhas gillettes, a fase single edge, onde descobri que uma lâminas pode ser tão confortável quanto afiada e finalmente voltei pars as DE mais atuais, após comprar uma pils.
Nessa ultima fase, acabei experimentando máquinas maravilhosas, donas de um barbear confortável e eficiente. E uma delas foi a Timeless Razor.
Feita totalmente nos EUA, a timeless é uma máquina feita em aço 304, ou seja, é uma máquina pesada e robusta, que faz jus ao nome que leva. Afinal durará uma eternidade.

Ela é customizável. É possível no site escolher entre 2 baseplates (Open comb e closed comb), com dois gaps diferentes (.68mm e .95mm) e com dois acabamentos (fosco e polido). O mesmo se dá com o top cap, handles e suportes. É possível qualquer combinação.

No meio disso tudo, o que mais me cchamou a atenção foi a versão com o top cap escalopado. Trata-se de uma beleza ímpar e sem dúvida é minha máquina mais bonita.


Mas beleza não põe na mesa. De nada adiantaria uma linda máquina se não fosse eficiente e confortável. E nesse ponto a máquina se destaca.

Na oportunidade que tive para adquirir minha timeless, comprei apenas o head dela, com as duas opções de gap. Para minha surpresa, mesmo no maior gap ela não perdeu conforto. A lâmina fica bem presa e alinhada, não sendo necessária muita preocupação com o alinhamento da lâmina.


Apesar do preço proibitivo, arrisco dizer que é uma excelente compra, onde não haverá arrependimentos. Ela cumpre bem seu objetivo sem nenhum esforço.

Especificações do Fabricante:

H1: HANDLE DIMENSIONS

Weight: 71 Grams

Length: 3 5/16″ 85.1 mm

Diameter: 1/2″ 12.6 mm

H2: HANDLE DIMENSIONS

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H3: HANDLE WITH PLAID DESIGN

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H4: HANDLE WITH BARBER POLE DESIGN

Weight: 94 Grams

Length: 100 mm

Diameter: 14 mm

H5: HANDLE WITH DIMPLED DESIGN

Weight: 80 Grams

Length: 85 mm

Diameter: 14 mm

OPEN COMB CAP AND BASE PLATE

Weight: 39 Grams

0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)

SOLID BAR CAP AND BASE PLATE
Weight: 41 Grams
0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)

SCALLOPED CAP AND BASE PLATE

Weight: 40 Grams
0.95mm Blade gap (MEDIUM AGGRESSIVE) OR 0.68mm Blade gap (MILD)

Review/Análise – Matador Toro Mastiff

Resenha\review do barbeador Matador

Fala, galera! Kell na área novamente!

Desta vez, trago uma breve análise de um aparelho que eu acredito ser muito pouco conhecido. Trata-se da Matador Toro Mastiff.

Esse foi meu segundo barbeador. Eu o ganhei em um PIF (pass it forward) do fórum Barbear Tradicional Brasil. Em virtude de ter sido um presente, e de ser um barbeador já usado, algumas coisas irão faltar, como imagens da embalagem original, por exemplo.

Parte da análise terá uma comparação com meu primeiro barbeador, a Edwin Jagger DE89, sobre a qual já escrevi e recomendo a leitura. Clique aqui para ler.

Primeiro uma foto do aparelho. Este exemplar é da versão Gold, tem a versão cromada também, e versões Corto e Largo, que eu acredito que deva se referir ao tamanho.

O único site, na época, que tinha à venda, que eu me lembre, era o Razor Blades and More.

A Matador é um aparelho de 3 peças (ou 4, depende do ponto de vista). A construção é bem robusta, não passa a menor impressão de fragilidade. O acabamento é um ponto em que a avaliação fica um pouco prejudicada pelo fato de ser um aparelho já usado, e eu não faço ideia de por quanto tempo foi usado antes de eu recebê-lo, então não tenho como descrever o acabamento de uma peça dessas nova. Entretanto, a julgar pelo bom estado do meu aparelho, imagino que deva ser um bom acabamento; talvez não chegue no nível de uma Edwin Jagger, mas com certeza é um aparelho bem feito.

Sobre a origem, tudo o que consegui garimpar em fóruns gringos foram informações de que ela seria fabricada na Índia. Alguns usuários chegaram a afirmar que seria praticamente a mesma coisa de alguns modelos de outras marcas (RazoRock, Cadet, Pearl, etc.). Como não conheço muita coisa a respeito, não sei o que dizer…

Aqui o que eu falei sobre ser 4 peças dependendo do ponto de vista. O cabo tem uma parte rosqueável no fundo que, ao ser retirada, deixa o aparelho mais curto e mais leve. Achei legal ter as duas opções de uso.

Sobre o tamanho, Não cheguei a medir o meu aparelho   , mas de acordo com o site que o vende, tem cerca de 4 polegadas.

Tamanho comparado à minha Edwin Jagger DE89 Barley.

O peso é mostrado nas imagens a seguir.

Completa.

Sem a parte inferior do cabo.

O barbeador tem uma boa maneabilidade.  O peso é um pouco mais distribuído para o cabo, mas nada que a torne desbalanceada ou prejudique o uso. Aliás, o cabo é um show à parte. Ótimo peso, bem “maciço”, tem um recartilhado que ajuda no grip e ainda o lance do fundo removível para deixar o aparelho mais curto e mais leve, caso queira. Fora isso, é um cabo bem bonito.

Falando da agressividade do aparelho, farei algumas comparações em relação à EJ DE89. Bem, de acordo com o que li em fóruns gringos, os relatos são de que a Matador Toro Mastiff estaria, no quesito agressividade, em algum lugar entre a EJ DE89 e uma Muhle R41.

O cabeçal é closed comb, mas é perceptivelmente mais agressivo do que a EJ. De acordo com o ranking de agressividade elaborado no fórum Badger & Blade, na escala 0 a 10, a Matador Toro Mastiff está em 4,5; a EJ DE89 em 2,5 e a Muhle R41 lá no topo (9,5 para a versão 2013 e 10 para a versão 2011).

Para ver a tabela mencionada, clique aqui. (Tabela não elaborada por nós do blog. Todos os créditos ao pessoal do fórum Badger and Blade).

O nível maior de agressividade em relação à EJ é bem perceptível, então eu fui comparar o cabeçal de ambas. Não sei se vai dar pra perceber na foto, mas o espaço entre a lâmina e a barra de segurança é bem maior na Matador (à esquerda).

Quanto ao uso, no começo eu tive um pouco de dificuldade. Minha impressão inicial é de que não é um aparelho tão intuitivo quanto a EJ. Demorei um pouco mais pra achar o ângulo correto, se colocar alguma pressão dá pra sentir bem a lâmina no rosto, então tem que ter um pouco mais de cuidado. Testei com a lâmina Astra SP, que rendeu um bom barbear. Também usei com uma Laser Super Platinum e o barbear foi excelente, um dos melhores que já tive no início de carreira de wetshaver. Com a Feather a coisa já não foi lá tão boa assim. Ainda cabem muitos testes e ainda tenho um monte de marcas de lâminas pra testar até achar a melhor combinação.

Eu gostei demais desse aparelho. O nível de agressividade um pouco maior me permitiu barbeares com algum esforço a menos em comparação com a EJ. Não sei se recomendaria como uma primeira safety razor, visto que é bem pesada e o ângulo é um pouco menos intuitivo. Para uma primeira máquina a Edwin Jagger me parece ser uma escolha bem mais acertada.

Enfim, é isso. Espero que tenham curtido.

Até a próxima!

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

O icônico barbeador King Cobra

O nome impressiona e logo de cara é possível notar a imponência deste barbeador, fabricado pela Galco, conhecida por fabricar coldres para armas de fogo, por encomenda de uma loja de produtos de barbear a Classic Shaving, a King Cobra é a evolução da Cobra, para ilustrar abaixo temos uma foto com os dois beberadores, a de cabo preto é a King, ambos usam laminas SE (single edge) clique aqui entenda como é essa lâmina.

IMG_0478

IMG_0476

IMG_0480

A King Cobra não é uma evolução propriamente dita em melhorias funcionais, é mais uma questão estética, a Cobra Classic possui 1 peça e a King Cobra 2 peças, além do design bem diferente, seu cabo não é intercambiável, a não ser que seja feito sob encomenda devido a um sistema de rosca proprietário,  é um barbeador robusto e grande feito em latão como os antigos barbeadores da Gillette, medindo 12,7 cm e pesando 105 gramas, suas partes cromadas são de alta qualidade comparável aos famosos barbeadores Edwin Jagger (ingleses) e os Mhule (alemães). Apesar do tamanho e do peso tem uma ótima manuseabilidade, sua cabeça com perfil estreito facilita o barbear em áreas mais criticas como bigode e as curvas do maxilar, diferente do barbeador concorrente Mongoose que possui uma cabeça maior tornando-o mais desajeitado para essas partes. A lâmina é travada por um sistema basculante usando uma alavanca liberando o “base plate” a parte de baixo da cabeça, um sistema simples e eficiente, a exposição da lâmina é grande, fazendo deste um barbeador bem agressivo não indicado para iniciantes deste hobby, mas também não é um “bicho de 7 cabeças” é só ter cuidado no período de adaptação exigido sempre que trocamos de barbeador, até acostumarmos com o peso a exposição da lamina e o equilíbrio da nova maquina.

É um barbeador raro, foi fabricado em quantidade limitada, se você tem curiosidade fique de olho nos fóruns que indicamos aqui e em suas respectivas áreas de vendas e trocas, quem sabe você não da sorte, mas prepare-se, tudo que é raro tem seu preço elevado, com certeza mais de 300 dólares, dependendo do estado é claro.

Agradecemos as imagens ao blog Sharpologist

  Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email

 

Safety Razor Emir Karl Engels Solingen

Essa máquina adquiri do confrade Elson do BTB que me alertou que ela era muito agressiva.

Ao receber essa máquina alemã que foi fabricada entre as décadas de 20/40 veio a grata surpresa da sua beleza e estado de conservação.

 

 

 

Deixei para fazer o teste pela manhã, mas me esqueci de separar uma lâmina no dia anterior e acabei tendo que fazer um teste com uma lâmina feather que achei que podia deixar ela ainda mais arisca.

Instalada a lâmina me surpreendi pela grande exposição da lâmina como podem ver na imagem abaixo:

Feita uma ótima espuma com o sabão RR Don Marco do qual já fiz uma avaliação aqui parti para o barbear.

Nas primeiras escanhoadas essa maquininha já surpreendeu pela sua suavidade e eficiência.

Terminei a primeira passada com um barbear muito rente e sem irritações e segui para a segunda passada já direto no sentido contrário.

Ao terminar a segunda passada estava com um barbear ultra rente sem irritações ou cortes restando apenas alguns poucos retoques.

No final desse dia pude ter noção da eficiência já que a barba estava muito menor do que habitualmente está.

Hoje fiz o segundo uso dessa máquina e novamente o resultado foi surpreendente como a primeira impressão.

Durante algum tempo usei a muhle R41 2013 diariamente e comparando com essa máquina digo que essa é mais eficaz todavia mais suave, mas não dá para se enganar com a sensação de suavidade que ela transmite porque com essa exposição de lâminas é uma máquina que não perdoa excessos, pressão excessiva ou descuidos.

No meu caso que gosto de máquinas agressivas fiquei muito satisfeito  com essa aquisição, pois além de ser uma relíquia mostra-se muito efetiva no seu uso.

 Clique no link e receba nossas atualizações
Subscribe to BarbeandoCast by Email